A atual matriz (Santuário) foi construída entre os anos de 1834 e 1840, com acabamento incompleto, era pequena, tinha apenas uma torre com a sacristia à esquerda. Era a capela filial de São José do Além Paraíba, cujo capelão e depois cura foi Padre Felipe da Mota.
Em 12/01/1860 foi nomeada uma comissão para examinar o estado da velha Matriz, ameaçada de ruir. Em janeiro de 1872 foi proibida a celebração de missas em seu interior. A instituição do curato de Nossa Senhora das Mercês do Rio Cágado data de 14 de julho de 1832, através de documento assinado por Diogo Antônio Feijó, Ministro e Secretário de Negócios da Justiça.

O arraial do Cágado, formado ao redor da capela, desenvolveu-se com bastante rapidez e foi elevado a vila em 1851 e, ao mesmo tempo, ganhava a denominação de Mar de Espanha. No mês seguinte, era o curato do Cágado elevado à paróquia pela lei mineira n.º 545, de 05 de outubro de 1851. No ano de 1872 deu-se inicio as obras da Matriz de Nossa Senhora das Mercês, cabendo à Irmandade de Nossa Senhora Mercês  sua construção. As obras estiveram paralisadas por algum tempo e o contrato para finalizar as obras foi firmado em 11 de abril de 1882, sendo concluídas dois anos depois.